Teorias do Treinamento Desportivo

+ Compartilhe

TEORIAS DO TREINAMENTO DESPORTIVO

Objetivo
O objetivo desse estudo é reunir teorias sobre o treinamento esportivo, na tentativa de aplicar essas teorias no tênis de mesa. Organizar informações ajudando ao treinador/professor a planejar melhor seus treinos. Buscar respostas para perguntas relacionadas a todo o processo de estruturação, organização e periodização do treinamento, que são de grande importância para o entendimento do treinador/professor e do próprio atleta/aluno.
Introdução

Para que treina? Muitos atletas preferem praticar o esporte de forma “livre”, sem regras ou padrões para seguir, muitas vezes só querem “bater bola” e jogar, mais isso é certo?
Essa questão é comum entre muitos praticantes do esporte: “eu aprendo jogando, para que eu vou treinar?”. Se o objetivo pessoal do atleta seja apenas lazer e recreação, não há necessidade de treinamento planejado, mas para atletas que querem aprender novos fundamentos, aprimorar suas técnicas, para aqueles que querem competir e buscam altos rendimentos e nível competitivo um programa de treinamento planejado e organizado se torna essencial para alcançar seus objetivos.
O nosso organismo necessita passar por um processo complexo, composto de repetições de exercícios gerais e específicos para aprender ou “decorar” um fundamento, e esse processo de aprendizagem é organizado e envolve o sistema nervoso central e o sistema musculoesquelético, além de ser influenciado por outros diversos fatores fisiológicos e emocionais.  Por isso para que consiga alcançar um bom rendimento, ter um bom aprendizado e ter um ótimo desempenho em qualquer esporte à pessoa necessita passar por um processo chamado de treinamento desportivo.

O QUE É TREINAMENTO DESPORTIVO?
Algumas definições para o treinamento desportivo são:
Num sentido bastante restrito, treinamento esportivo é o preparo físico, técnico-tático, intelectual, psíquico e moral do atleta através de exercícios físicos BARBANTI (1997).
O treinamento esportivo é um processo organizado de aperfeiçoamento, que é conduzido com base em princípios científicos, estimulando modificações funcionais e morfológicas no organismo, influindo significantemente na capacidade de rendimento do esportista BARBANTI (1997).
Trata-se, de um conjunto de procedimentos que devem ser considerados, objetivando o aperfeiçoamento das capacidades motoras em um estado ótimo em busca da performance ideal, e visa a harmonia entre os sistemas biológicos, psicológico e social GOMES (2002).
Processo ativo complexo regular planificado e orientado para a melhoria do aproveitamento e desempenho esportivos (CARL, 1989) citado por WEINECK (2003).
Segundo Barbanti (1997) o treinamento esportivo é um processo de muitos fatores e não uma atividade que se possa fazer mecanicamente, e que se baseia no relacionamento humano, com pessoas de diferentes tipos e personalidades. Trata-se, pois de trabalhar com um conjunto de situações bastante complexas, em que estão envolvidas de forma absolutamente decisiva as emoções e as relações entre as pessoas.
Segundo Gomes (2009) a preparação desportiva é um processo tão complexo que o resultado final só pode ser atingido com a união de diversos fatores cujas explicações e cujo entendimento não dependem apenas do domínio do conhecimento do conteúdo de treinamento, mas também da arte e da intuição do treinador. Levando em consideração a experiência do treinador e do fundamento teórico proveniente da investigação científica nas diferentes áreas relacionadas com as ciências do desporto.

ESTUDOS CIENTÍFICOS RELACIONADOS AO TREINAMENTO DESPORTIVO (CIÊNCIAS DOS ESPORTES)

CARACTERÍSTICAS E OBJETIVOS DO TREINAMENTO DESPORTIVO

Características do treinamento
Segundo Barbanti (1997):
1 – O treinamento sempre objetiva a obtenção do maior rendimento individual possível no esporte ou na modalidade praticada.
2 – O treinamento é quase sempre uma questão individual. O rendimento esportivo é a soma de vários fatores, que podem variar de pessoa para pessoa, mesmo se elas conseguem o mesmo resultado na competição. Por isso é importante identificar e mobilizar completamente o potencial de cada indivíduo. Isso não significa que é necessário treinar sempre individualmente. O treinamento em grupos não só é mais econômico, mas uma estratégia importante na educação, na motivação e na cooperação.
3 – Para se obter um nível elevado de desenvolvimento físico, técnico, tático e psicológico, o praticante deve se sujeitar a cargas de treinamento elevadas. Para consegui-lo, ele deve adaptar seus hábitos de vida às exigências do esporte. Assim o treinamento se torna uma parte integral do modo de vida do atleta.
O ASPECTO MAIS SALIENTE DA NOSSA PROFISSÃO, QUE A TORNA DIFERENTE DA MAIORIA DAS OUTRAS, É QUE TRABALHAMOS COM SERES HUMANOS, CADA UM DELES COM SUAS ESPERANÇAS E SEUS OBJETIVOS DE VIDA.
4 – o treinamento é caracterizado pela sua natureza planejada e sistemática. Isso é refletido nos planos de treinamento, que são realizados de acordo com princípios científicos e pela prática adquirida com experiências bem sucedidas.
5 – Assim como qualquer outro método de ensino, o treinamento esportivo é marcado pela educação e pelo crescimento (maturação).
Objetivos do Treinamento
O treinamento serve para manutenção, melhora ou recuperação da capacidade de rendimento e da SAÚDE.
Segundo GOMES (2009):
“Treino desportivo, um conjunto de procedimentos que devem ser considerados com o objetivo de aperfeiçoar as capacidades motoras até um estado ótimo, mantendo sempre o equilíbrio entre os sistemas biológicos, psicológico e social”.
O termo desporto apresenta muitos conceitos diferentes, o termo desporto é entendido como a parte dominante dos componentes da cultura física, incluindo tais formas de prática de exercícios físicos como forma recreativa, profilática, sanativa, educativa e outras.

Segundo WEINECK (2003):
Objetivos psicomotores: estes compreendem por um lado os fatores condicionais do desempenho (como a resistência, a força, a velocidade) e suas subcategorias, e por outro a capacidade coordenativa e aptidões (técnicas), que se situam no centro do processo de aprendizagem motora.
Objetivos Cognitivos: estes compreendem sobretudo conhecimentos das áreas tática e técnica, mas também conhecimentos básicos para a otimização e aumento da eficácia dos treinamentos.
Objetivos Afetivos: estes são representados por força de vontade, autoconfiança, autocontrole. Estes objetivos relacionam-se intimamente com os fatores de desempenho físico, restringindo-se.
O objetivo do treinamento deve se elevar, ser mantido ou ser reduzido, de acordo com o desempenho do atleta.
A resposta ao treinamento fornece o grau de adaptação ao estresse do treinamento. Trata-se de uma medida dinâmica dependente de uma série de fatores endógenos (tipo de constituição física, idade, etc.) exógenos (alimentação, condições ambientais, etc.). Estudaremos isso mais adiante nos princípios do treinamento.

Fontes:

Livro – Teoria e prática do treinamento esportivo (Valdir J. Barbanti, 2° edição - 1997)
Livro – Treinamento Desportivo Estruturação e periodização (Antonio Carlos Gomes, 2° edição – 2009)
Livro – Treinamento Ideal (Jurgen Weineck, 9° edição – 2003)